Categorias
Mundo

Aude – Covid: o uso de testes caiu 15,6%

Os laboratórios biológicos do departamento notaram uma queda no número de testes. Os prazos para relatar resultados são bastante aceitáveis ​​no Aude.

Após a efervescência do início do ano letivo de início de setembro, a tendência no número de testes Covid-19 realizados no departamento de Aude é de baixa. Com efeito, se entre 21 de setembro e 27 de setembro os laboratórios analíticos (privados e públicos) atingiram a marca de 9.037 exames semanais, contaram com 7.627 na semana seguinte (-15,6%). A mensagem transmitida a nível nacional, a prioridade dada por certos laboratórios às pessoas sintomáticas e aos casos de contacto explicam a evolução dos números? Difícil dizer. Por outro lado, uma coisa é certa: os prazos de entrega dos resultados nada têm a ver com os observados em certas cidades da França e amplamente divulgados nos telejornais. “Estamos agora com 84% de resultados em menos de 24 horas e 100% entre 24 e 72 horas”, confirma Bertrand Leborgne para os laboratórios CBL-Avicenne. Mesma observação de Frédéric Bolos, do laboratório Biod’Oc: “Não temos tensão desse lado.” Tanto é que as suas estruturas em Carcassonne acolhem pacientes de Haute-Garonne e Tarn, onde os atrasos são muito mais longos: “O resultado muitas vezes ultrapassa as 72 horas”, sublinha Bertrand Leborgne.

Testes de saliva menos sensíveis

A oportunidade para os biólogos lançarem alguma luz sobre as novidades promovidas a nível nacional no tom da inovação. A começar pelos famosos testes de saliva: “São menos sensíveis que os testes nasofaríngeos, explica Frédéric Bolos. As pessoas acham que a amostra é mais suportável, mas para aumentar a eficácia será necessário coçar a garganta, o que é igualmente importante. Desagradável. ” Seja como for, por recomendação da Alta Autoridade de Saúde, esses exames devem ser realizados “preferencialmente em pessoas sintomáticas para as quais a amostra de nasofaringe é difícil ou mesmo impossível (idosos em casas de repouso, em particular)”. Por outro lado, ela não os recomenda para pessoas assintomáticas, nas quais atuam muito pouco.

Testes antigênicos: estudos em andamento

Já os testes antigênicos, considerados mais rápidos, não são, por enquanto, reembolsados ​​e ainda estão em fase experimental. “Eles não são acessíveis ao público em geral e são implantados como parte de uma exibição massiva”, diz Frédéric Bolos. Estudos em andamento permitirão ao HAS emitir parecer em breve.

20-29 anos, faixa etária com maior taxa de positividade

Informado a partir do banco de dados SI-DEP, uma plataforma segura que centraliza os resultados dos testes PCR realizados em laboratórios, o site Public Health France lista os resultados da triagem em nível departamental e por faixa etária. Os resultados de setembro, interrompidos na segunda-feira, 28, corroboram o discurso feito pela prefeita de Aude Sophie Elizéon na quarta-feira, 30 de setembro, durante seu comunicado de volta às aulas: a representante do Estado então convocou os 20-30 anos de vigilância, apontando para uma taxa de incidência de 139,4 para essa faixa etária (número de casos positivos por 100.000 habitantes em sete dias consecutivos), mais do que o dobro da taxa de incidência geral em Aude. No dia 28 de setembro, o banco de dados SI-DEP possibilitou o cálculo da taxa de positividade do departamento em 3,75% (780 casos para 20.778 rastreios); uma taxa que sobe para 6,82% para pessoas de 20 a 29 anos, com 193 casos positivos em 2829 testes. A única faixa etária a ultrapassar a média departamental também é a de 10-19 anos, com 155 positivos para 3330 exames (4,65%).